Na boiada/já fui boi...Boiadeiro/já fui rei...

Não há como fugir, sempre reviramos os velhos baús!
Abro os baús que me fazem bem, afinal é assim que gosto de conviver com o passado...
Hoje encontrei num destes baús uma música de uma época que eu não havia nem nascido.



Grande letra, bela música ...
Fico em bom estado de reflexão sempre que a ouço.Fico a pensar na minha vida e não há como não puxar as rédeas..."aprendi a dizer não/ver a morte sem chorar".Todos nós já fomos ou seremos boi e também boadeiro...
Desta vidinha grande, eu carrego altos e baixos.


Não haveria de esquecer de citar: " ...gado a gente marca,tange,ferra,engorda e mata/mas com gente é diferente./na boiada já fui boi/boiadeiro já fui rei..."




http://www.youtube.com/watch?v=jQKqpCVmVrE
"Eu venho lá do sertão e posso não lhe agradar/aprendi a dizer não,ver a morte sem chorar..."

1 bilhetinhos deixados no baú:

SIRLEY FONSECA disse...

"A morte e o destino, tudo
Estava fora do lugar
Eu vivo prá consertar..."

Você tem razão, essa música mexe com a gente. Aprender a dizer não é necessário, porém muito difícil.

Beijão

Postar um comentário